Alfredo

O molho Alfredo

Foi criado por Alfredo di Lelio em 1908, logo depois do nascimento de seu filho. Sua esposa, Ines, perdeu completamente o apetite após dar a luz. Alfredo, obviamente preocupado, fez de tudo para tentar alimentá-la e fazê-la recobrar as forças. Como nada do que sabia cozinhar estava dando certo, resolveu cozinhar uma pasta apenas com manteiga e queijo parmesão. Antes de servir para a esposa, orou para Santa Ana – a protetora das mulheres grávidas. Eis que suas preces foram atendidas.

Em 1914 Alfredo abriu seu restaurante na Via della Scrofa e colocou, a pedidos da esposa, sua abençoada criação no cardápio, mas o molho começou a ganhar o mundo apenas em 1920, quando duas estrelas hollywoodianas do cinema mudo, Douglas Fairbanks e Mary Pickford, passaram por Roma em lua de mel e se apaixonaram pelo molho de Alfredo, daí explica-se a grande popularidade do molho no país do tio San. Alfredo aposentou-se em 1943, mas deixou o restaurante para seu filho Armando, quem passou a ser conhecido como Alfredo II. Em 1946 a família vendeu o restaurante na via della Scrofa para dois de seus garçons.

Mas para a nossa alegria, Alfredo I resolveu cancelar a aposentadoria e abriu com seu filho um novo restaurante em Roma, chamado Il vero Alfredo (o verdadeiro Alfredo). Com o tempo o restaurante passou do Alfredo I e do Alfredo II para o Alfredo III e sua irmã, Ines di Lelio. O restaurante existe até hoje e ainda serve o tradicional molho inventado pela família (Menu de experiência completa custa €42) e mais, tornou-se uma franquia presente no México, Chile e Brasil (em Salvador). Curiosidade: Anos depois, o casal de atores, Douglas Fairbanks e Mary Pickford, presentearam Alfredo com uma colher e um garfo de ouro que viraram uma tradição e símbolos do restaurante.

Agora que conhecemos a história, vamos à receita abaixo que é uma versão do restaurante Olive Garden. De simples e rápida execução, mas muito saborosa e viciante.
Caso queira a receita mais tradicional, clique aqui.

Ler mais

Puttanesca

Spaghetti Alla Puttanesca

  • É um molho de massas TRADICIONAL italiano originado em Nápoles na metade do século 20, tornando-se popular nos anos 60. A história de sua criação conta com algumas polêmicas versões. Das mais conhecidas, duas versões envolvem prostíbulos (o que explicaria o nome polêmico – espaguete ao estilo de uma prostituta), veja abaixo quatro versões:
  1. Que um prostíbulo teria chegado a esta receita, a partir da necessidade de as mulheres alimentarem-se rapidamente, entre um cliente e outro;
  2. Que esta receita começou a atrair clientes para os prostíbulos, por força de seu aroma;
  3. Que uma esposa, para trair seu marido e ainda ter tempo de servir o jantar quando o traído chegasse em casa, acabou criando o molho que era fácil de fazer, muito saboroso e, mais importante, rápido.
  4. As versões acima são as mais divulgadas, mas existe uma versão que cita nome e sobrenome do criador – Sandro Petti – sócio do restaurante Rancio Fellone. De acordo com um artigo publicado, a receita foi criada nos anos 50 graças a alguns clientes que chegaram muito tarde ao restaurante de Sandro. Petti teria dito aos clientes que não possuía mais ingredientes para preparar nenhum prato, quando um dos clientes respondeu – “Facci una puttanata qualsiasi” – traduzindo, faça uma porcaria (ok, putaria) qualquer (dica: não usem o google translate direto para português rsrs). Então Sandro usou o que tinha. Alguns tomates, azeitonas e alcaparras, criou uma base de molho e  serviu com espaguete. Claro, como ficou muito bom, o molho foi parar no cardápio com o nome de PUTTANESCA. Daí as anchovas e variações vieram com o tempo. Particularmente eu achei essa última versão a mais convincente.

Vencida a parte histórica vamos à receita (com algumas pequenas mudanças e adaptações para nossa realidade).

Ler mais